Lavouras de trigo apresentam bom desenvolvimento no RS

Publicada em 03/09/2021

Alta produtividade poderá ser conferida durante Abertura Oficial da Colheita em outubro

Principal produto da safra de inverno, o trigo toma conta da paisagem nos campos gaúchos. Neste ano a área plantada com o cereal chega a 1,1 milhão de hectares e a produção estimada é de 3,5 milhões de toneladas, segundo a Federação da Agricultura do Rio Grande do Sul (FARSUL).

Em fase de desenvolvimento vegetativo e floração, as lavouras de Cruz Alta exibem um verde exuberante, dando uma ideia da sanidade das plantas.

“O frio e a baixa umidade favoreceram a sanidade das lavouras de trigo no Rio Grande do Sul. O frio intenso, principalmente no final do mês de julho, com temperaturas negativas e abaixo da média histórica em grande parte do Rio Grande do Sul, retardou o desenvolvimento das plantas, evitando maiores danos por geadas na cultura do trigo, que ainda estava na fase de desenvolvimento vegetativo em 90% das lavouras gaúchas. A cultura deverá contar com chuvas irregulares também durante toda a primavera”, explica o analista de meteorologia da Embrapa Trigo, Aldemir Pasinato.

 

O cenário é positivo também entre os produtores. Na área experimental da Fenatrigo, onde será realizada em outubro, a Abertura Oficial da Colheita do Trigo no Rio Grande do Sul, o controle é rigoroso. Tudo para que o evento demonstre a realidade da cultura no Estado e principalmente no município de Cruz Alta que neste ano destinou 21 mil hectares para o cereal. “Nossa expectativa é a melhor possível, estamos preparando a lavoura que vai sediar a abertura da colheita no estado com tudo que há de melhor em termos de tecnologia, demonstrando o que os nossos produtores também fazem da porteira pra dentro. Cruz Alta tem um potencial produtivo muito grande e o resultado certamente será satisfatório em termos de produtividade”, comentou Romulo De Bortoli, responsável técnico da área experimental.

 

Rentabilidade que também terá reflexos no bolso do produtor. “No ano passado era necessário colher 47 sacas de trigo para pagar os custos da lavoura. Hoje, com os preços atuais, o produtor precisa colher 32 sacas”. Comentou o Presidente da Fenatrigo e produtor rural, Moacir Medeiros.

 

Conforme o presidente da FecoAgro/RS, Paulo Pires, o mercado está ajudando e trazendo uma perspectiva para o produtor na venda para produção moageira e na venda para a produção animal. “Os preços estão muito bons e o produtor aproveita isso e puxa a questão da comercialização. Houve um aumento de área muito significativo no Rio Grande do Sul. Acreditamos que este crescimento esteja ao redor de 20%”, observa.

 

Abertura da Colheita do Trigo RS

O evento será realizado no dia 18 de outubro, na Fazenda Santa Terezinha, na empresa Sementes Aurora, em Cruz Alta, com início previsto para às 10h.

Além da tradicional colheita do trigo, com o passeio na colheitadeira, será realizada de uma live, transmitida diretamente da lavoura, com a presença de autoridades estaduais, nacionais e técnicas, que abordarão temas sobre o cenário da produção, desde o plantio, manejo da lavoura até a colheita.

Deseja receber informativos em seu e-mail?

A Feira foi projetada para marcar o esforço de consolidação de uma política correta para a triticultura

A Feira dá enfoque especial aos interesses da triticultura, da agricultura em geral, da pecuária, da indústria, do comércio e serviços

 
© 2021 FENATRIGO - Feira Nacional do Trigo
RealizaçãoPolítica de Privacidade   Separador Voltar ao Topo
Site produzido pela Netface
Este site pode utilizar cookies para segurança e para lhe assegurar uma experiência otimizada. Você concorda com a utilização de cookies ao navegar neste ambiente? Conheça a nossa Política de Privacidade.