Genética assegura rendimento e amplia resistência à giberela

Publicada em 07/10/2021

Na constante busca pelo aumento da produtividade, aliada à sanidade da lavoura, a Biotrigo Genética apresenta um novo lançamento para seu portfólio. Ao combinar segurança com rendimento, TBIO Trunfo chega ao mercado para auxiliar uma série de desafios que o triticultor enfrenta ano após ano, em especialmente a giberela. Com níveis inéditos de resistência a essa doença, a cultivar entrega os menores níveis de DON (micotoxina deoxinivalenol) entre os trigos cultivados no Brasil e conta com um equilibrado pacote fitossanitário. Além disso, seu elevado potencial produtivo se assemelha ao TBIO Audaz, referência consolidada no quesito. Atualmente, o Trunfo está em multiplicação neste ciclo e estará disponível ao produtor a partir de 2022.

Conforme Elson Uggeri, triticultor de Entre Ijuís (RS), a giberela representa um dos principais problemas enfrentados em sua lavoura. Devido à grande frequência de chuvas durante o período de florescimento do trigo na Região das Missões, o fungo possui maior propensão para infectar as flores e, assim, atacar os grãos. “Isso traz uma série de problemas, tanto em produtividade, que vai impactar nos ganhos do produtor, como na geração de micotoxinas, que também afeta os moinhos”, relata Uggeri. Além da giberela, o agricultor destaca a germinação na espiga como outro desafio para condução da lavoura com essa condição climática.

Mais segurança na lavoura

A preocupação do produtor de Entre Ijuís com o controle da giberela é bastante comum entre os triticultores pela doença ser responsável por uma série de problemas ao longo dos anos, principalmente no momento da comercialização. O engenheiro agrônomo e gerente regional sul da Biotrigo, Tiago De Pauli, explica que o DON tem limites estabelecidos pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) para consumo humano e o manejo da doença gera um alto custo para o produtor.

O lançamento da Biotrigo Genética, TBIO Trunfo, não carrega esse nome por acaso. Segundo o doutor em Fitopatologia e fitopatologista da Biotrigo, Paulo Kuhnem, o material é o primeiro com nota 8 do portfólio da empresa em resistência genética à giberela (dentro de uma escala comercial que vai de 1 a 9), sendo essa uma nota excelente para a enfermidade. “Nas avaliações dos últimos anos, a cultivar sempre apresentou valores de DON muito baixos, em torno de 1 ppm, enquanto a maioria dos materiais estava na casa de 2 a 2,5 ppm, chegando até a 3. Isso nos dá confiança de que o material traz a resistência desejada”, explica.

Testado no campo nesta safra pela rede de multiplicadores, o material está atendendo muito bem as demandas que o triticultor possui, bem como as da indústria. “O TBIO Trunfo ganha destaque principalmente nas regiões do Rio Grande do Sul em que há maior precipitação na época de florescimento e mais próximo à colheita”, relata De Pauli. É nesse cenário de anos mais úmidos e chuvosos como este, característica bem presente no Estado, que a cultivar ganha espaço e promete, se bem protegida, relevante potencial de rendimento na safra.

Conforme Tiago, em termos de PH, a cultivar pode ser comparada ao TBIO Iguaçu, material referência na questão até alguns anos atrás. “O Trunfo chega com esse mesmo padrão de qualidade, que é muito levado em conta, principalmente quando o produtor vai comercializar seu trigo nas cooperativas ou em cerealistas”, ressalta. Além do elevado nível de PH, o maior do portfólio TBIO, o material também possui grande equilíbrio em seu pacote fitossanitário, apresentando uma elevada tolerância à germinação na espiga em pré-colheita e bom nível de reação para manchas foliares, ferrugens e oídio além, é claro, da destacada resistência à giberela e brusone.

Recomendações

Como aponta Tiago, é recomendado o uso do regulador de crescimento. “É uma ferramenta importante para preservar o potencial do material e facilitar a colheita, devido ao porte médio alto da planta”. Ele também alerta para a importância do manejo integrado e da atenção com a aplicação correta de fungicidas. “Ao alinharmos a resistência genética e aplicações de fungicidas, observamos um melhor controle de giberela e os menores valores de DON”.

Posicionamento

O TBIO Trunfo é indicado preferencialmente para a época intermediária e fechamento de janela de semeadura, sendo posicionada para todos os níveis de investimento. Por exibir excelentes resultados de panificação e atender a demanda exigida pela indústria moageira, o Trunfo é classificado como trigo pão. Devido a todos esses fatores, a cultivar se destaca como uma das melhores opções aos produtores que buscam mais segurança, facilidade no manejo e grande produção de grãos.

Fonte: Assessoria de Imprensa da Biotrigo - Créditos das fotos: Divulgação Biotrigo/Ricardo Maia

Deseja receber informativos em seu e-mail?

Confira outras imagens

  • Genética assegura rendimento e amplia resistência à giberela

A Feira foi projetada para marcar o esforço de consolidação de uma política correta para a triticultura

A Feira dá enfoque especial aos interesses da triticultura, da agricultura em geral, da pecuária, da indústria, do comércio e serviços

 
© 2021 FENATRIGO - Feira Nacional do Trigo
Política de Privacidade   Separador Voltar ao Topo
Site produzido pela Netface
Este site pode utilizar cookies para segurança e para lhe assegurar uma experiência otimizada. Você concorda com a utilização de cookies ao navegar neste ambiente? Conheça a nossa Política de Privacidade.